terça-feira, 22 de maio de 2012

"Ser um homem feminino, não fere o meu lado masculino" (Pepeu Gomes)


Você aí, homem, alguma vez já teve cerceada a sua liberdade de agir? aparentemente, não, não é? Mas teve sim. O machismo é delimitador não apenas para mulheres. Por mais que você seja branco, heterossexual e rico (o grupo mais privilegiado da nossa sociedade), o machismo atinge você também. Porque embora ele coloque a mulher em posição de submissão e o homem, de dominação (e que fique claro: não há comparação possível em relação às desvantagens do machismo para as mulheres) ele também interfere no comportamento masculino. Ou você nunca ouviu a expressão "homem que é homem ____________" (complete com qualquer idiotice aqui)? Homem que é homem não chora, homem que é homem faz tarefas domésticas, homem que é homem não leva desaforo para casa, homem que é homem não sente, homem que é homem provavelmente também não pensa e jamais questiona. 

Camiseta polêmica do atlético
mineiro em tom rosa clarinho
A lavagem cerebral que forma os machinhos de plantão começa ainda na infância: mesmo antes de nascer, o quarto da criança pode ser de qualquer cor, menos rosa. Porque homem não veste rosa. Nem a parede do quarto de um menino veste rosa. Digamos que esse menino agora tenha uns dois anos. Ele brinca, cai, se machuca e chora. A primeira reação do pai (e muitas vezes da mãe também) é incutir na cabeça da criança:  "homem não chora". E quando essa criança estiver socializando com outras, certamente virá o "homem não brinca de boneca" ou ainda "homem não brinca com menina". E qualquer comportamento no sentido oposto é caracterizado como "coisa de mulherzinha". A nossa sociedade é tão misógina que "ser homem" é uma grande qualidade e "ser mulherzinha" é um defeito.

Porque a amizade masculina não
pode ter demonstração de afeto?
beijo, abraço, mão dada?
Mais tarde na adolescência, começa o momento de provar que é machão e, infelizmente, esse momento, não termina jamais. O tal do "homem que é homem", "seja homem", "aja como um homem", os acompanha por toda a vida. E a isso é dado o nome de machismo. É o machismo (e não o feminismo) que padroniza comportamentos. E também é o machismo que faz com que na eventualidade de uma separação, a mulher tenha a guarda dos filhos. Isso porque, segundo a nossa lógica machista, a mulher é que possui o papel natural de mãe, de cuidadora. Aos homens o mundo, às mulheres o lar.

Meme machista/ homofóbico
Homens botam sua masculinidade num pedestal tão alto que passam a vida toda tentando alcançar. Rapazes, fica a dica: esqueçam a masculinidade, sejam apenas homens. Se homens abrissem mão dos privilégios que o machismo oferece, veriam que o feminismo traz a vantagem da liberdade. No feminismo, todos os gêneros tem a liberdade de agir sobre as suas próprias vidas. Assim como o feminismo não afirma que a mulher que é mãe, que trabalha em casa, que cozinha é menos mulher (ou mais mulher), ele também afirma que homens não são menos homens (ou mais homens) por chorar, brincar de boneca, usar rosa, cumprimentar amigos com beijos, ser amigo de mulheres, não entender de futebol, não gostar de cerveja, não saber dirigir, não trabalhar fora de casa, cuidar dos filhos, varrer a casa, enfim, por viver.

É importante salientar, porém, que assim como eu, branca, apóio os movimentos que buscam igualdade racial mas entendo que essa luta é dos negros, é necessário que homens sejam feministas, apóiem as mulheres feministas, mas entendam que o seu papel é coadjuvante. A luta contra a opressão masculina é da sociedade mas é principalmente das mulheres. Questionem seus papéis de gênero enfiados goela abaixo pela sociedade patriarcal, se não o fizerem por empatia às mulheres, façam porque eles também restringem o seu comportamento, a sua liberdade.

10 comentários:

  1. Ótimo texto, queria descobrir um jeito de fazer todos os homens lerem isso.
    Mas pra isso eu só mudaria o título Ser um homem feminino, não fere o meu lado masculino, justamente por achar que certos sentimentos não são femininos e sim humanos, e tudo que diz respeito a ser feminino espanta os homens, e pra eles se tornam apenas mais uma bobeirinha que eles não irão ler.
    Seria ótimo se eles descobrissem que somos todos seres emocionais, e que isso não é ruim e nem feminino, é bom e natural.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Carla. Eu concordo com você essa questão da descontrução do feminino e masculino. Boa crítica sobre o título. ;)

      Excluir
    2. A Giza arrasou nesse texto!

      Lembrei de um texto da Eliane Brum que fala que o marido dela se identificava/queria ser uma personagem mulher da série Fringe.

      E concordo com a crítica da Carla sobre o título, mas acho que o texto em si desmistifica isso e mostra que homens e mulheres são humanos simplesmente.

      Excluir
  2. Adorei o texto.Parabéns!! Sobre a questão da cor rosa não ser masculina, fiquei pensando se em todas as culturas essa cor é ligada ao sexo feminino, porque para cor não existe sexo.Nós que aprendemos associar a cor a um menino ou uma menina.

    ResponderExcluir
  3. Seu blog ganha mais uma leitora, ótimos textos... parabéns :)

    ResponderExcluir
  4. também concordo com texto, o ser humano é muito cheio dessas picuinhas idiotas e acaba vivendo metade da vida que podeira viver. Abraço

    ResponderExcluir
  5. Raphaella Gonçalves7 de julho de 2012 00:19

    Achei que era só eu que odiava esse meme do "moleque baitola", bom saber que não sou a única.

    ResponderExcluir
  6. Gizelli, parabéns pelo texto.
    Infelizmente, hoje vivemos nessa tal sociedade, hipócrita, medíocre e preconceituosa.
    Valores estão sendo perdido a cada dia, homens deixando seu ego e o seu orgulho falar mais alto que sua raiz ( sentimentos, emoções etc.) mas que bom que se encontra alguém com punho para falar sobre isso. Demonstrar afeto e carinho por uma pessoa do mesmo sexo, não o define um homossexual, e sim mostra sua humanidade!

    Caso queria uma ajuda ai com a divulgação do seu texto, é só dar um grito!

    Abraços; Douglas Klein

    ResponderExcluir
  7. Uma de minhas músicas preferidas na adolescência!
    Quanto ao texto achei sublime.Tive sorte no azar da separação de meus pais ainda nos meus cinco anos, pois além de filho único fui criado e educado por minha mãe. Ainda hoje me sinto potencialmente carente, sensível romântico, saf...
    Fui poupado do machismo familiar, mas claro que o social esta sempre presente e tentando influenciar.
    Parabéns por me proporcionar esta agradável leitura antes das 6h.

    ResponderExcluir
  8. Gostei do texto, é muito bom pra abrir a mente de nois homens e tbm pra acabar com as palhaçadas desse tal "machismo", acho uma bobeira mais a sociedade masculina é cega... Contudo gostei bastante do texo. E pra deixar claro sou Homem :)

    ResponderExcluir